Bill Gates apresenta vaso sanitário que funciona sem água e transforma fezes em adubo

 

  • Com um pote de fezes humanas ao lado, o filantropo bilionário Bill Gates deu o pontapé inicial em exposição na China

    Com um pote de fezes humanas ao lado, o filantropo bilionário Bill Gates deu o pontapé inicial em exposição na China

O fundador da Microsoft, Bill Gates, apresentou nesta quarta-feira em Pequim sua aposta para fazer frente à crise mundial de saneamento: um vaso sanitário que não necessita de água nem de ser conectado a nenhum sistema de depuração para funcionar e que transforma os resíduos humanos em adubos.

O multimilionário mostrou este inovador modelo ao público em uma exposição realizada em Pequim para exibir os últimos avanços tecnológicos de saneamento para “reinventar os vasos sanitários” e acelerar sua adoção e comercialização.

“Esta exposição apresenta pela primeira vez tecnologias e produtos de saneamento descentralizado radicalmente novos e prontos para serem comercializados”, destacou Gates em comunicado divulgado pela Fundação Bill e Melinda Gates.

Neste contexto, o fundador da Microsoft apresentou sua proposta de vaso sanitário, cujo uso pode ser universalizado graças ao fato de que não precisa ser conectado a nenhum sistema de saneamento, não requer água e transforma os dejetos humanos em adubos.

Alguns destes vasos sanitários já estão sendo testados na cidade sul-africana de Durban, onde também estão sendo iniciados outros modelos alimentados por energia solar, explicou Gates em um vídeo na sua conta oficial no Twitter.

Visitantes observam um modelo de banheiro autônomo na Reinvented Toilet Expo, em Pequim

A rápida expansão destes novos produtos e sistemas de saneamento que não necessitam se conectar a nenhuma rede poderiam reduzir drasticamente o número de mortes e o impacto da falta de higiene na saúde da população nos países mais pobres, acrescentou.

Gates também mostrou durante a apresentação um jarro cheio de sedimentos para explicar que os resíduos humanos podem provocar doenças como diarreia e cólera, que já causam cerca de 500.000 mortes de crianças menores de cinco anos a cada ano no mundo todo.

Além disso, lembrou que mais de US$ 200 bilhões são perdidos anualmente devido aos custos sanitários e à baixa produtividade provocada pela falta de um saneamento adequado.

Também participou da exposição o presidente do Banco Mundial (BM), Jim Yong Kim, que destacou que o saneamento é uma das prioridades para sua organização, que se aliará com a Fundação Bill e Melinda Gates para levar instalações sanitárias seguras a todas as partes do mundo.

“Os sistemas que podem se estender com rapidez e podem proporcionar um saneamento seguro e sustentável às comunidades são fundamentais para a qualidade de vida e o desenvolvimento do capital humano”, declarou o presidente do BM, citado no comunicado.

A fundação Bill e Melinda Gates, que investiu mais de US$ 200 milhões desde 2011 para reinventar os vasos sanitários, prometeu durante o encontro investir outros US$ 200 milhões para finalmente atingir o objetivo.

Segundo os últimos dados da ONU, 60% da população mundial não conta com instalações sanitárias adequadas e quase 900 milhões de pessoas no planeta se veem obrigadas a defecar ao ar livre por não ter acesso a um banheiro.

No próximo dia 19 de novembro será promovido o Dia Mundial do Vaso Sanitário, com o objetivo de sensibilizar sobre a crise mundial de saneamento e fomentar medidas para solucioná-la, de acordo com o estabelecido nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que têm como horizonte o ano 2030.

Fonte: UOL

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário