Carrefour propõe medidas de proteção animal após manifestações

Cachorro  (Foto: Reprodução Instagram)

É provável que você tenha ficado sabendo do caso da cachorrinha de rua assassinada por um segurança do Carrefour de Osasco, em SP. O caso, que tomou proporção nacional, ganhou ainda mais repercussão quando celebridades, como Tatá Werneck e Giovanna Ewbank, emcabeçaram manifestações nas redes sociais.

Após protestos (inclusive na unidade em que tudo aconteceu), na tarde do último sábado, 08, o Carrefour divulgou as medidas de proteção animal que vai promover. São elas:

1) Revisão dos procedimentos internos para lidar com animais abandonados no entorno das lojas;
2) Revisão dos treinamentos de colaboradores, parceiros e prestadores de serviço;
3) Ampliação das feiras de adoção de animais em todo o País;
4) Reaparelhamento do Centro de Controle de Zoonoses de Osasco (SP);
5) Criação do ‘Carrefour Pet Day’, a ser realizado anualmente no dia 28 de novembro, data da morte da cachorrinha, quando apoiará com recursos entidades de acolhimento e defesa animal;

Leia abaixo, na íntegra, a nota à imprensa divulgada pela assessoria do supermercado:

Nota à imprensa
O Carrefour informa que se reuniu com diversas ONGs e entidades que atuam com a causa animal, ouvindo suas solicitações e recomendações para a construção de iniciativas em prol da causa. Dentre as ações anunciadas estão: a revisão dos procedimentos internos para lidar com animais abandonados no entorno das lojas; revisão dos treinamentos de colaboradores, parceiros e prestadores de serviço; ampliação das feiras de adoção de animais em todo o país; reaparelhamento do Centro de Controle de Zoonoses de Osasco (SP), para que possam desempenhar suas funções da melhor forma possível; criação do ‘Carrefour Pet Day’, a ser realizado anualmente no dia 28 de novembro, data da morte da cachorrinha, quando apoiará com recursos entidades de acolhimento e defesa animal. A companhia seguirá em contato com essas entidades para o desenvolvimento de novas iniciativas em prol da causa animal. Seguimos colaborando com as autoridades para que o caso seja elucidado o mais rápido possível. Reforçamos que estamos tristes com a morte do animal e não vamos nos eximir de nossa responsabilidade. 

Fonte: glamour

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.