Condessa Sangrenta, a húngara que bebia o sangue das vítimas

Condessa Sangrenta, a húngara que bebia o sangue das vítimas

  Na infância, Elizabeth Báthory presenciou um evento marcante. Um cigano convidado a ir ao castelo entreter a realeza foi preso ao tentar vender o filho. Elizabeth se escondeu para testemunhar o castigo. Viu um cavalo com ventre aberto. Os soldados, então, colocaram o prisioneiro vivo dentro da barriga e costuraram o animal. O homem ficou lá até morrer de inanição. –  (André Toma/) Nascida em 1560, Elizabeth era condessa, filha de uma das famílias mais poderosas da Transilvânia – na atual Romênia. Aos 15 anos, casou-se com Ferenc Nadasdy,…

Leia Mais

Gin, o inimigo público número um

Gin, o inimigo público número um

   (Tomás Arthuzzi/Superinteressante) O levante tinha data marcada: 29 de setembro de 1736, dia de São Miguel Arcanjo. Insuflada pelo grito de guerra “no gin, no king” (“sem gin, sem rei”), a turba iria se insurgir contra a Coroa assim que entrasse em vigor a lei que, na prática, proibia o comércio de gin em solo britânico. O motim, anunciado cinco dias antes, uniu toda a massa de pobres e oprimidos de Londres. Para inflamar ainda mais a multidão, os taverneiros ofereceram gin grátis durante a madrugada que antecedeu à…

Leia Mais

A história esquecida do 1º barão negro do Brasil Império, senhor de mil escravos

A história esquecida do 1º barão negro do Brasil Império, senhor de mil escravos

Um próspero fazendeiro e banqueiro do Brasil nos tempos do Império, dono de imensas fazendas de café, centenas de escravos, empresas, palácios, estradas de ferro, usina hidrelétrica e, para completar a cereja do bolo, de um título de barão concedido pela própria Princesa Isabel. A biografia do empresário mineiro Francisco Paulo de Almeida, o Barão de Guaraciaba, não seria muito diferente de outros nobres da época não fosse um detalhe importante: ele era negro em um país de escravos. No ano em que a Lei Áurea completa 130 anos, vale…

Leia Mais

Pecado original: por que as religiões condenam o sexo?

Pecado original: por que as religiões condenam o sexo?

   (Julius Schnorr von Carolsfeld/Superinteressante) O Gênesis conta também a história de como a prática de reverenciar vários deuses se transformou no culto a um deus só. Diz a Bíblia que Abraão ouviu uma voz divina ordenando que fosse para Canaã, a terra prometida, onde ficam atualmente Israel, territórios palestinos e parte do Líbano, da Jordânia e da Síria. Lá ele teria fartura e descendência numerosa, venceria todas as guerras e lideraria um povo. Em troca, deveria venerar um único criador e espalhar sua palavra. Foi então que um deus…

Leia Mais

5 amores que mudaram o mundo

5 amores que mudaram o mundo

a maior parte dos historiadores costuma omitir episódios bastante relevantes, mas não muito ortodoxos, como casamentos forçados ou juras de amor. Só que, não raro, esses acontecimentos típicos da vida privada têm extrema influência nas tomadas de decisão da vida pública. “Estar apaixonado ou sentir-se sozinho afeta o que a pessoa é e suas decisões”, diz a jornalista espanhola Rosa Monteiro, autora do livro Paixões, que reúne histórias de casais famosos. Conheça alguns dos grandes feitos da história que poderiam não existir, se não fosse pelo cupido. –  (Redação/Superinteressante) 1….

Leia Mais

Há 50 anos, morte de Robert Kennedy alterou radicalmente o curso da história americana

Há 50 anos, morte de Robert Kennedy alterou radicalmente o curso da história americana

Há 50 anos, Robert Kennedy morreu após ter sido baleado na cozinha do Hotel Ambassador, em Los Angeles. A morte, mais uma em uma família cercada tanto pelo sucesso quanto pela tragédia, ainda é cercada por teorias da conspiração. O imigrante palestino Sirhan Sirhan, da Jordânia, foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato do então pré-candidato presidencial do Partido Democrata para a eleição de 1968. Nunca ninguém conseguiu provar sua inocência. Alguns garantem que Sirhan poderia ter agido sob os efeitos de hipnotismo e até mesmo que poderia ter havido…

Leia Mais

Abolição da escravidão em 1888 foi votada pela elite evitando a reforma agrária, diz historiador

Abolição da escravidão em 1888 foi votada pela elite evitando a reforma agrária, diz historiador

Em 13 de maio de 1888, há 130 anos, o Senado do Império do Brasil aprovava uma das leis mais importantes da história brasileira, a Lei Áurea, que extinguiu a escravidão. Não era apenas a liberdade que estava em jogo, diz o historiador Luiz Felipe de Alencastro, um dos maiores pesquisadores da escravidão no Brasil. Outro tema na mesa era a reforma agrária. O debate sobre a repartição das terras nacionais havia sido proposto pelo abolicionista André Rebouças, engenheiro negro de grande prestígio. Sua ideia era criar um imposto sobre…

Leia Mais