Você está aqui

Cobre opera em alta com expectativa de estímulos na China

 
Mineração de cobre no Chile

Cobre: na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para setembro avançava 0,22%

Londres – Os futuros de cobre operam em alta moderada em Londres e Nova York nesta manhã, sustentados por expectativas de novos estímulos econômicos na China e pela demanda renovada de especuladores.

Por volta das 7h25 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,2%, a US$ 4.932,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para setembro avançava 0,22%, a US$ 2,2405 por libra-peso, às 7h50 (de Brasília).

Em reunião realizada na China neste fim de semana, autoridades financeiras e do banco central do gigante asiático disseram que se esforçarão mais nos próximos meses para enfrentar os desafios econômicos do país.

“Eles querem explorar quais opções – inclusive medidas de política fiscal – estão disponíveis para impulsionar o crescimento. No final, isso também poderá ajudar a aumentar a demanda por metais”, disseram analistas do Commerzbank, em nota a clientes.

Dados publicados na semana passada mostram que as importações e exportações chinesas subiram na comparação anual de junho, gerando otimismo em relação à economia do maior consumidor mundial de cobre. O Commerzbank também apontou que os contratos de cobre estão sendo mais procurados por especuladores.

Segundo estatísticas da Comissão de Negócios de Futuros de Commodities, as posições líquidas na semana até 19 de julho na Comex atingiram o maior patamar desde o fim de março, notou o banco alemão. Além disso, o chamado índice WSJ do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, o que ajuda a tornar o cobre mais atraente para detentores de outras moedas.

Fonte: Estadão

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »