Colágeno: especialistas esclarecem dúvidas sobre a proteína

Em casa, use creme ricos em colágeno ou que tenham substâncias que são capazes de estimular a sua produção, como vitamina C (Foto: Thinkstock)
Muitas pessoas dizem que tomam colágeno para a pele. A proteína de fato traz benefícios: dá estrutura, firmeza e elasticidade tanta para o rosto como o copo, segundo a dermatologista Karla Assed, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology. Mas ainda existem dúvidas sobre o colágeno, como em que alimentos encontrá-lo, a partir de que idade deve-se começar a tomar a proteína em cápsulas, entre outras. A seguir, a dermatologista e a nutricionista Isabella Correia, da Clínica La Prath, no Rio de Janeiro, esclarecem essas e mais questões.

Realmente há uma queda na produção de colágeno no corpo a partir dos 30 anos? 
De acordo com a dermatologista, existe, sim, essa queda quando se chega aos 30. “As fibras de colágeno e elastina não são produzidas como antes e as fibras se desorganizam, deixando a renovação celular irregular e fazendo com que a pele perca cada vez mais a hidratação”, diz. “A queda natural na produção de hormônios traz ainda mais prejuízo, como a perda de densidade, firmeza e elasticidade. Isso pode acelerar ainda mais com as alterações hormonais.”

Quais alimentos são ricos em colágeno? 
“O colágeno é encontrado principalmente em peixes, carne e ovos, gelatina, frutas cítricas, frutas vermelhas, vegetais de cor verde escura, laranja, soja e ostra. A proteína é mais facilmente absorvida pelo organismo quando é de origem animal”, afirma Karla.

A nutricionista alerta ao dizer que alguns alimentos atrapalham a produção de colágeno: “Refeições com alto teor de açúcar e alimentos com alta carga glicêmica fazem com que sejam produzidos muitos agentes de glicação avançada (AGEs), aumentando os radicais livres, que são extremamente oxidantes ao organismo. Esses produtos em excesso interferem diretamente na síntese do colágeno, estimulando o estresse oxidativo, flacidez e até envelhecimento precoce da pele”, explica.

O colágeno é responsável por dar estrutura, firmeza e elasticidade à pele (Foto: Thinkstock)

Pode-se consumir nutricosméticos de colágeno em qualquer idade?
Segundo Karla, quando se é muito jovem não há necessidade, pois o colágeno a mais não irá trazer benefício. “O ideal é a partir dos 30 anos.”

Quantidade certa para ser consumida por dia? Varia de acordo com a idade?
“A quantidade ideal diária de colágeno a ser ingerida varia de pessoa para pessoa, normalmente é em torno de 2 gramas por kg”, diz Karla.

Quais são os tratamentos estéticos mais recomendados para a reposição de colágeno?
“Hoje com tecnologia de ponta existem vários tratamentos para a produção do colágeno que varia de acordo com o grau de envelhecimento. Entre eles: ulthera, radiofrequência, fracionado, microagulhamento, fotona e aplicação de ácido polilatico”, sugere a dermatologista. Em casa, ela indica usar cremes ricos em colágeno ou que tenham substâncias capazes de estimular a sua produção, como vitamina C, ácido retinóico, ácido hialurônico e ácido glicólico.

Fonte: marieclaire

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário