Como funciona o cartão de crédito digital no Brasil

Os cartões de crédito digitais são a nova febre entre usuários de smartphone. Sem anuidade, eles atraem a público jovem, que faz tudo pelo celular e não quer pagar nenhuma tarifa só para ter um cartão. O jeito fácil de solicitar online, sem necessidade de ir a uma agência física ou enviar documentos em papel, é outro fator decisivo para a crescente adesão ao serviço.

Desde o lançamento do Nubank, em 2015, o mercado brasileiro viu proliferar os aplicativos de banco digital com oferta de cartão de crédito sem anuidade. Agibank, Credicard Zero e Pag são alguns dos principais nomes que vêm ajudando a mudar o comportamento dos clientes de instituições de crédito. A seguir, o TechTudo fez um apanhado para explicar melhor sobre esse tipos de serviço e suas vantagens.

Cartões de crédito digitais: sem anuidade e procedimentos completamente online (Foto: Divulgação/Credicard)

Cartões de crédito digitais: sem anuidade e procedimentos completamente online (Foto: Divulgação/Credicard)

Cartão físico x cartão virtual

Quando se trata de cartão de crédito digital, o erro mais comum é confundi-lo com cartão de crédito virtual. Embora tenham nomes praticamente iguais, os serviços são diferentes. O que é chamado de cartão digital é um cartão comum, físico, tal como o que você já tem do seu banco.

A diferença do cartão digital para o tradicional está principalmente na forma de solicitar, que é toda online. Além disso, a já mencionada ausência de taxas de manutenção é uma característica comum a todos os serviços do tipo. Mas a aparência e forma de utilização é a mesma do velho cartão com anuidade, pedido na agência bancária.

O cartão virtual, por sua vez, é um recurso para fazer compras pela internet de forma mais segura. Ele possui um número diferente do cartão físico, assim como data de validade e código de segurança. Por existir apenas virtualmente, ele é gerado imediatamente pelo aplicativo, e pode ser apagado também a qualquer momento.

Nubank oferece recurso de cartão de crédito virtual para compras online mais seguras (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)

Nubank oferece recurso de cartão de crédito virtual para compras online mais seguras (Foto: Barbara Mannara/TechTudo)

Abertura de conta pela internet

A velocidade e a falta de burocracia para abrir conta em uma plataforma digital é o grande diferencial desse serviço. Prometendo uma vida livre das filas de banco, Nubank, Agibank, Pag e Credicard Zero trazem aplicativos para Android e iPhone (iOS), por onde o cliente faz todas as operações financeiras.

De maneira resumida, os apps pedem para que o usuário forneça dados pessoais como CPF, RG, endereço e telefone, além de dar informações de renda e profissão. Os sistemas também pedem o envio de uma selfie e a digitalização dos documentos, que são registrados para análise. O cartão de crédito é emitido caso o usuário seja aprovado nessa avaliação, que considera se a pessoa está negativada e outros dados financeiros.

O Nubank e Credicard Zero permitem que os usuários realizem o cadastro inicial pela web. No entanto, todos eles exigem a instalação do aplicativo no celular, por onde é possível monitorar gastos, conferir e pagar a fatura, fazer transferências e controlar as transações de maneira geral.

Aplicativo do Agibank e outros bancos digitais concentram todas as funções da conta (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

Aplicativo do Agibank e outros bancos digitais concentram todas as funções da conta (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

Bandeiras e programas de recompensas

Pelo menos até o momento, todos os cartões digitais do mercado brasileiro são da bandeira Mastercard. Agibank, Nubank e Pag iniciaram as operações já com a modalidade internacional, enquanto o Credicard Zero passou a emitir cartões para uso no exterior posteriormente.

A bandeira conta com o programa de fidelidade Mastercard Surpreenda. O sistema dá pontos nas compras efetuadas com o cartão de crédito, que podem ser trocados por benefícios como cosméticos, restaurantes, viagens e shows. No entanto, a participação não é automática; é preciso se cadastrar no site de programa para começar a acumular os pontos.

Além desse, cada operadora pode oferecer seu próprio sistema de recompensas. O Nubank tem o Rewards, que traz como diferencial a possibilidade de abater parte da fatura ou de gastos frequentes, como do Uber ou Netflix, com a pontuação. Ele é contratrado à parte e tem um custo mensal ou anual, dependendo da escolha do cliente.

Nubank Rewards é um programa de fidelidade próprio da operadora (Foto: Divulgação/Nubank)

Nubank Rewards é um programa de fidelidade próprio da operadora (Foto: Divulgação/Nubank)

O Credicard Zero não tem exatamente um programa de fidelidade, mas parcerias com várias empresas para concessão de descontos a seus clientes. Entre as companhias afiliadas estão Uber, Credicard Hall, Decolar, Netshoes, Zattini, Extra, Magazine Luiza, Pontofrio e FastShop.

Instituições por trás dos cartões digitais

O maior banco por trás de um cartão digital é o Itaú Unibanco, responsável pelo Credicard Zero. Os outros três serviços tratados aqui são brasileiros. O Agibank é o novo nome comercial do Agiplan, banco fundado no Rio Grande do Sul. O Pag pertence ao Grupo Avista, instituição financeira sediada em Barueri, São Paulo. O Nubank nasceu como uma startup, já com esse nome, em São Paulo.

Neon Pagamentos e os problemas com o Banco Central

As irregularidades e indícios de crimes financeiros apresentados pelo Banco Neon, parceiro da operadora de contas digitais Neon Pagamentos, despertaram a desconfiança de muitos usuários para as fintechs. Isso porque o Banco Central decretou liquidação extrajudicial do banco, fazendo com que várias funções da conta digital fossem bloqueadas.

A intervenção do BC não teve como alvo principal a Neon Pagamentos, e sim o Banco Neon S.A., sediado em Belo Horizonte. No entanto, as empresas de tecnologia precisam operar em conjunto com uma instituição financeira para atuar no sistema bancário. Com o banco parceiro suspenso, a maior parte dos recursos da conta digital foi bloqueada.

A empresa, que afirma ter mais de 600 mil usuários, já conseguiu um novo parceiro para voltar às atividades – o Banco Votorantim. Com isso, serviços como cadastro, saques em bancos 24 horas, transferências e compras na função débito já voltaram a funcionar. Outras operações, como cartão de crédito, depósito por boleto e pagamentos continuam desativados.

Fonte: techtudo

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário