Em Marabá, empresário tenta matar funcionários da Celpa e é preso

Um proprietário de uma oficina mecânica foi preso em flagrante por tentar matar dois funcionários das Centrais Elétricas do Pará (Celpa), na tarde desta quinta-feira (14), em Marabá, sudeste do Estado. A prisão foi realizada por policiais civis.

Segundo informações da polícia, os funcionários terceirizados da Celpa estavam realizando o corte de energia da empresa do suspeito, identificado como Marcos Antônio de Jesus Silva, localizada na Folha 33, na Nova Marabá.

No meio do procedimento, os funcionários da Celpa foram surpreendidos pela chegada do proprietário da empresa conduzindo um caminhão. Marcos Antônio avançou com o veículo, em alta velocidade, contra os trabalhadores da concessionária de energia. Uma das vítimas foi atingida na perna e sofreu lesão corporal leve.

Em seguida, Marcos Antônio deu marcha ré no veículo e lançou o caminhão novamente contra o veículo da Celpa, provocando danos no veículo. O empresário ainda desceu do caminhão, adentrou a oficina mecânica e ameaçou os funcionários, simulando que buscaria uma arma de fogo.

Assustados, os colaboradores terceirizados da concessionária fugiram do local e procuraram ajuda em delegacia de Polícia Civil. Logo em seguida, o empresário foi detido e conduzido para a Seccional de Polícia, onde foi autuado em flagrante pelo crime de tentativa de homicídio.

O empresário está preso à disposição da justiça

POSICIONAMENTO

Por meio de nota, a Celpa informou que repudia qualquer ato de violência e reforça que sempre está disposta a dialogar com os clientes para explicar os procedimentos da empresa. A nota diz ainda que distribuidora está acompanhando junto a Polícia Civil as investigações sobre o caso.

Fonte: DOL

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.