Esmaltes e maquiagem são principais causas de alergia nas pálpebras

Muitas mulheres amam maquiagem e esmaltes. Entretanto, a vaidade pode levar algumas delas a desenvolverem alergias, dependendo do tipo de cosmético usado. A dermatite de contato alérgica é a causa mais comum de alergia na pele das pálpebras e atinge de 30 a 77% das mulheres. O esmalte para unhas é o primeiro no ranking das causas das alergias, seguido das maquiagens aplicadas na região dos olhos.

E para quem ama sombras, lápis e delineadores com muito brilho, aqui vai um alerta: na maioria dos casos de dermatite nas pálpebras, os metais presentes na composição do produto são os responsáveis pelo desencadeamento das alergias. Quanto mais coloridos e brilhantes, maior a chance de o produto ter em sua fórmula metais como alumínio, cobalto, níquel, cromo e chumbo.

Mas, até mesmo o rímel preto básico pode conter em sua fórmula uma substância conservante, conhecida como timerosal, uma forma de mercúrio, que segundo estudos tem um alto risco de desencadear alergias nos olhos e pálpebras.

E se você acha que acabou, tem mais: tinturas para cabelos, que também podem ser usadas nas sobrancelhas, por exemplo, podem desencadear alergias nas pálpebras e olhos devido à presença de várias substâncias, como chumbo, além da p-fenilenodiamina (PPD).

Quem lê rótulo de maquiagem?

Segundo a oftalmologista Dra. Tatiana Nahas, Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, maquiagem, esmaltes e tintura para cabelo podem causar alergias em pessoas que têm uma maior sensibilidade ou ainda naquelas que são atópicas, ou seja, que são alérgicas e apresentam diversos tipos de alergias, como rinite, conjuntivite alérgica, asma e dermatite de contato. “Porém, a alergia pode se manifestar mesmo em quem nunca teve alergia na vida”.

“Os estudos a respeito de alergias oculares, principalmente as que atingem a pele ao redor dos olhos, mostram que os principais alérgenos que desencadeiam a alergia são os metais já citados, além de corantes, conservantes e fragrâncias. A questão é que quase ninguém tem o costume de ler rótulos para checar quais as substâncias estão presentes na fórmula. Mesmo quem lê, pode não entender as siglas e nomes usados pelos fabricantes”, explica Dra. Tatiana.

Preço x Qualidade

A oftalmologista alerta para outra questão importante: o barato pode custar caro. “O mercado de produtos de beleza é um dos que mais crescem em todo o mundo. Mesmo com a crise, os números são positivos. Entretanto, nem sempre os produtos são de boa qualidade, testados, aprovados ou ainda livres de substâncias não autorizadas pelos órgãos reguladores”, ressalta Dra. Tatiana.

Um estudo recente mostrou que sombras, lápis de olho e até mesmo maquiagem para crianças apresentam níveis desses metais superiores aos permitidos. A dica da médica é sempre procurar produtos de marcas reconhecidas e de empresas idôneas. Portanto, se você adora comprar aquele conjunto de sombras do camelô, cuidado! O risco de ter uma alergia é grande.

Quem é alérgico deve ter atenção redobrada

Segundo Dra. Tatiana, é preciso entender que mesmo uma maquiagem de uma marca famosa pode causar alergia. “A alergia é uma reação do organismo, que reconhece a maquiagem ou outro cosmético, como um invasor, um corpo estranho. Pessoas alérgicas a outras coisas têm um risco maior de ter alergias a maquiagem, tinturas de cabelo, esmalte e outros produtos. Assim, o ideal é procurar alternativas, como produtos hipoalergênicos ou com fórmulas mais naturais”, comenta a médica.

Veja outras dicas para prevenir alergias nas pálpebras

Só seu: Maquiagem é de uso pessoal. Maquiagem de olhos e boca então, que entram em contato com as mucosas, jamais devem ser compartilhadas.

Validade: A validade da maioria dos cosméticos é de 3 a 6 meses. Procure analisar sempre se o produto já venceu. Não tenha dó, jogue fora e compre outro.

Check list: Mesmo sem ter vencido, fique de olho no aspecto do cosmético, como cheiro, textura, etc. Faça uma organização mensal das maquiagens. Pegue tudo que você tem e anote as datas de validade. Limpe os pincéis, etc.

Guarde apropriadamente: Leia nas instruções como o cosmético deve ser guardado, preferencialmente longe da umidade, do sol, etc.

Teste: O teste é sempre bem-vindo, mas a questão é que a pele das pálpebras é a mais fina e sensível do corpo. Procure uma região como o puls,o em que a espessura da pele não é tão grossa e teste o produto antes de aplicar nos olhos.

Bom e barato? Há opções de maquiagem de boa qualidade para todos os bolsos e gostos, de empresas nacionais e internacionais. Veja se o produto tem registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Se for importado, dos órgãos reguladores do país de origem.

“A alergia nas pálpebras pode evoluir para outras condições. Por isso, a recomendação é procurar um oftalmologista para tratar o quadro alérgico e até mesmo para avaliar os cuidados necessários para evitar novas crises”, conclui Dra. Tatiana.

Fonte: Ciclovivo

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário