Fazenda é invadida e depredada

 

Fazenda é invadida e depredada (Foto: Divulgação)

Sede da fazenda Serra Norte foi depredada e queimada pelos invasores.

A Polícia Militar de Parauapebas já prendeu 24 pessoas envolvidas na invasão da fazenda Serra Norte em Eldorado dos Carajás, no sudeste paraense. Homens invadiram a sede da fazenda Serra Norte, na madrugada de anteontem (29) e atacaram os funcionários do local, atearam fogo nas casas da sede da fazenda, fizeram trabalhadores como reféns e mataram animais. Toda a ação surpreendendo os fazendeiros e produtores rurais de toda a região. Por volta das 15h de sábado, os cerca de 40 homens invasores continuavam na fazenda. Os invasores seriam da Frente Nacional de Luta (FNL).

A fazenda Serra Norte fica localizada na PA-275 que liga os municípios de Eldorado dos Carajás a Curionópolis. Homens da Polícia Militar, do Grupo Tático, do Grupo de Operações Especiais, e um helicóptero da PM de Parauapebas tentaram negociar com os invasores. Na entrada da fazenda um grupo de fazendeiros da região fazem um acampamento para acompanhar de perto a situação. O clima continua tenso e preocupante no local até a manhã desta segunda-feira.

REFÉNS

Segundo a administração da fazenda os manifestantes estão no local acampados desde o dia 8 de agosto, mas por volta das 3h deste sábado, eles atacaram a sede da fazenda. Um administrador informou que fizeram todos os funcionários de reféns, incluindo mulheres e crianças de colo e uma funcionária que teve filho faz 2 meses. “Há uma criança deficiente que não sabe falar, e bateram nele também. Os funcionários ficaram todos de joelhos, armas na cabeça, foi muito ruim, muito triste”, assim descreve ele o horror vivido pelos funcionários.

Além disso, segundo ele, atearam fogo em todas as casas. “Não sobrou nada”, declarou. “Foi tiro para todo o lado, queimaram os barracões, nossas máquinas, tanques de apagar incêndio, tratores. Não sei nem explicar o tamanho desse prejuízo. É muito grande, incalculável”, desabafou.

ARMADOS

Ainda segundo o administrador da fazenda Serra Norte o acampamento teria umas 80 pessoas, mas os que atacaram a sede do local teriam sido umas 40. Ele menciona que eles utilizavam armas como Carabina, Pistola, Calibre 12 e Espingarda 20. Já existe um processo na Justiça de Reintegração de Posse.

(Diário do Pará/Sucursal de Marabá)

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.