Grupo fraudava manejo sustentável para extrair madeira, diz PF de RO

Um indígena e um madeireiro foram presos na região do Cone Sul. PF deflagrou operação de combate a crimes ambientais nesta quinta, 14.

Operação Nova Era foi deflagrada nesta quarta-feira, 4 (Foto:  Divulgação/Assessoria PRF)
Polícia Federal deflagrou operação contra crimes
ambientais na região do Cone Sul
(Foto: Divulgação/Assessoria PRF)

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta quinta-feira (14) a Operação Plano Virtual para coibir crimes ambientais no estado. A ação combate a atuação de madeireiros na região de Espigão do Oeste, Ministro Andreazza e Pimenta Bueno, além de Porto Velho.

Desde o início da manhã, estão sendo cumpridos 24 mandados, sendo que dois são de prisão preventiva, seis de condução coercitiva, quando a pessoa é obrigada a comparecer para prestar depoimento, 13 de busca e apreensão na região do Cone Sul, e três ordens de interrupção de atividades de empresas madeireiras e Plano de Manejo Florestal Sustentável.

Segundo a PF, dois mandados de prisão preventiva já foram cumpridos, sendo de um madeireiro da cidade de Espigão do Oeste e outro de um indígena também da mesma região.

O esquema foi revelado na Operação Plano Virtual, cujas investigações partiram da delegacia da PF em Vilhena. Segundo as investigações, a ação criminosa contava com detentores dos planos de manejo, madeireiros, consultores ambientais, exploradores e transportadores de madeira. ‘Laranjas’ também foram utilizados para o esquema.

O grupo se beneficiava de extração ilícita de madeira que eram ‘mascaradas’ por meio de fraudes em planos de manejo – em geral essa madeira ilegal provinha de terras indígenas. Os indiciados responderão pelos crimes de furto, receptação, falsidade documental, extração ilegal de madeira, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Fonte: g1.globo.com

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário