Justiça decreta indisponibilidade de bens de atual prefeito de Jacundá, no Pará, no valor de R$ 300 mil


A Justiça decretou a indisponibilidade de bens de Ismael Gonçalves Barbosa (PSDB), atual prefeito de Jacundá, sudeste do estado, no valor de R$300 mil; além da assessora adjunta da Secretaria do Meio Ambiente e Turismo (Sematur), Necy Guedes de Oliveira, no valor de R$30 mil; da vereadora Maria Marta Costa, em R$35 mil; e da irmã de Necy, Maria Divina Guedes, no valor de R$4,8 mil. O G1 tenta contato com os investigados, mas ainda não obteve resposta.

Os quatro são alvos de uma ação do Ministério Público do Estado (MPPA) por suspeitas de nepotismo, enriquecimento ilícito e lesão aos cofres públicos municipais, movida pelo promotor Sávio Ramon Batista.

Segundo o MPPA, investigações que embasaram a operação Epístola, em agosto de 2018, resultaram na apreensão de documentos na secretaria citada e na Câmara Municipal de Vereadores, a fim de apurar nomeações de servidores de forma irregular.A denúncia aponta que Maria Costa e a irmã Necy

O inquérito aponta que Maria Costa, Necy Veiga e o prefeito teriam utilizado da influência do cargo para nomear diversos parentes em cargos públicos.

Além das citadas na matéria, outros 14 funcionários públicos que haviam sido nomeados por Necy Veiga, foram afastados.

Fonte: G1

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.