Você está aqui

O Maior Jogador de Futebol da História, Segundo as Grandes Lendas

Foto retirada de:http://contenti1.espn.com.br/foto/pequena/f926b5e0-b77a-3205-9113-867d95427d18.jpgImagem retirada de: http://www.eurosport.com/football/the-top-five-players-of-all-time-where-does-johan-cruyff-rank-on-our-list-of-greats_sto5380373/story.shtml

Depois do post sobre o maior jogador de basquete da história de acordo com as lendas da NBA, alguns  leitores sugeriram que fizesse uma lista semelhante em relação ao futebol.

Todavia, a discussão sobre quem foi o melhor em todos os tempos não deixa de ser extremamente divertida (certamente assunto comum em conversas entre amigos fãs do esporte). Em razão disso, pesquisei as opiniões (mais recentes possíveis, quando Messi, por exemplo, já era considerado um dos grandes da história do esporte) de 24 grandes lendas do futebol mundial (17 jogadores e 7 técnicos).  Utilizei, como parâmetro (o que não significa que concordo com a classificação) para escolher os jogadores, a lista abaixo dos 20 melhores da história segundo a Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol:

 1."Pelé"                 (Brasil)        1705 
 2.Johan Cruijff          (Holanda)       1303
 3.Franz Beckenbauer      (Alemanha)      1228
 4.Alfredo di Stéfano     (Argentina)     1215
 5.Diego Armando Maradona (Argentina)     1214
 6.Ferenc Puskás          (Hungria)        810
 7.Michel Platini         (França)         722
 8.Garrincha              (Brasil)         624  
 9.Eusébio                (Portugal)       544  
10.Robert Charlton        (Inglaterra)     508
11.Stanley Matthews       (Inglaterra)     368
12.Marco van Basten       (Holanda)        315
13.Gerd Müller            (Alemanha)       265
14.Zico                   (Brasil)         207
15.Lothar Matthäus        (Alemanha)       202
16.George Best            (Irlanda do Norte)187
17.Juan Alberto Schiaffino(Uruguai)        158
18.Ruud Gullit            (Holanda)        119
19.Valdir Pereira Didi    (Brasil)         116
   Gianni Rivera          (Itália)         116

Excluindo da lista os jogadores falecidos (com exceção de Eusébio e Di Stéfano, pois chegaram a ver Messi e outros jogadores recentes) e Gerd Mueller (pois não encontrei sua opinião na internet), temos 13 jogadores. Para completar 17, decidi acrescentar Just Fontaine (francês, recordistas de gols em uma única Copa – em 58, com 13 gols), Roberto Rivelino (campeão da Copa do Mundo em 1970), Zinedine Zidane e Daniel Passarella (capitão da Argentina campeã do mundo em 1978).

Entre os 7 treinadores, selecionei um grande nome de cada país campeão do mundo (apenas em relação à Inglaterra, preferi um escocês, por isso o país constará na lista como Reino Unido). Como há principalmente brasileiros e argentinos na disputa, escolhi 4 eleitores (três jogadores e um treinador) de cada um desses países. Portanto, os 24 eleitores serão:

Alemanha – Franz Beckenbauer, Lothar Matthaus, Jupp Heynckes (como treinador – campeão das Champion’s League com Real Madrid e Bayern de Munique);

Argentina – Maradona, Di Stéfano,  Daniel Passarella e César Luís Menotti (treinador campeão mundial de 1978);

Brasil – Pelé, Zico, Rivellino e  Zagallo (como treinador);

Espanha: Josep (Pep) Guardiola (como treinador)

França – Michel Platini, Zinedine Zidane, Just Fontaine e Arsène Wenger (treinador);

Holanda – Johan Cruyff, Rudd Gullit e Marco Van Basten;

Itália – Gianni Rivera e Fabio Capello (como treinador);

Portugal: Eusébio

Reino Unido – Robert (Bobby) Charlton e Alex Ferguson (treinador escocês);

Enfim, seguem as escolhas de cada lenda (primeiro os jogadores, depois os treinadores):

Pelé: ele mesmo (Pelé)

Curiosidade: Pelé nutre especial admiração por Zico (sem dúvidas, um dos gênios do futebol mundial):

“Entrevistador: De todos os brasileiros que você citou, quem chegou mais perto de Pelé como jogador?

Pelé: Pela característica de jogo, o que chegou mais perto foi Zico.”

Maradona: ele mesmo (Maradona) –  Considera-se superior a Pelé e Messi.

Bobby CharltonDi Stéfano.

Segundo matéria de 2014, Charlton tem Di Stéfano como o maior de todos. Porém coloca Pelé, Messi e Cruyff no mesmo nível de Di Stéfano.

Johan Cruyff: Provavelmente Pelé.

Quando Pelé foi eleito o maior jogador do século 20 em 2000, Cruyff disse que a votação teve um justo vencedor.  Em 2012, escalou sua seleção de todos os tempos com: Yashin (URRS); Carlos Alberto (BRA), Beckenbauer (ALE), Krol (HOL); Guardiola (ESP), Charlton (ING), Di Stefano (ARG), Keizer (HOL); Maradona (ARG), Pelé (BRA), Garrincha (BRA). Como deixou Messi de fora, presumo que ainda tenha Pelé como o melhor de todos.

Franz Beckenbauer: Pelé. 

Sobre Pelé e Messi, o “Kaiser”  afirmou neste ano de 2015:

“Mas hoje ele (Messi) é o melhor jogador do mundo e do seu tempo. Entretanto, o melhor de todos os tempos é Pelé. Ele está simplesmente à frente do Messi. Nunca vi um jogador como Pelé.”

Di Stefano: Pelé.

Numa entrevista em 2012, o saudoso gênio argentino aduziu:

“O maior jogador de todos os tempos? Pelé. Messi e Cristiano Ronaldo são dois grandes jogadores com qualidades específicas, mas Pelé foi melhor.”

Recentemente,  segundo o jornalista Luis Munilla, Menotti disse em entrevista à Radio Marca que Di Stefano, em conversas privadas, afirmava que não houve ninguém como Pelé.

Platini: Pelé ou Cruyff (cada um receberá um voto).

 Em 2011, Platini afirmou que Cruyff era o maior da história.  Em dezembro de 2014, nomeou Pelé como o melhor de todos (observação: contarei um voto para cada um dos dois).

Num vídeo no youtube, Platini disse: “Há Pelé, o homem, e depois, Pelé, o jogador. E jogar como Pelé é jogar como Deus”.

Eusébio: Di Stéfano. 

“O jogador mais completo na história do futebol se chama Alfredo Di Stéfano.”

Zico: Pelé.

Depoimento em 2014:

“Não há dúvidas de que ele foi o melhor de todos. Quando Deus fez Pelé, ele pôs nele tudo o que um jogador de futebol precisa. Ele sabia como chutar, como driblas, como cabecear, usar o físico. Ele tinha tudo o que um jogador precisa ter. É difícil para alguém atingir o que ele atingiu no futebol”.  “(…)Taticamente, tecnicamente, fisicamente, mentalmente, ele era o melhor. Muito das coisas que eu aprendi foram do álbum de figurinhas do Pelé: como cabecear, como chutar a bola. Era um guia passo-a-passo. Eu aprendi de Pelé quando era criança.”

2015, num programa de rádio:

Roberto Rivelino: Pelé e Maradona, nessa ordem.

Numa entrevista ao próprio Maradona em 2014, Riva afirmou:

“Sempre tem muita comparação entre Pelé e Maradona. Para o Pelé, eu tiro o meu chapéu. Mas, depois do Pelé, Maradona foi o melhor jogador que eu vi jogar. Pela elegância, pela importância. Era um verdadeiro 10. O que o Maradona jogou no Napoli eu fico até arrepiado. Maradona jogou muito futebol, foi muito especial.”

Zinedine Zidane: Provavelmente Maradona. O francês sempre fala da idolatria que tem pelo argentino.

Daniel Passarella: Difícil comparar os grandes jogadores.

Em 2013, Passarela aduziu sobre Pelé, Messi e Maradona:

“Hoje, futebol é muito mais resultado do que antes. Os mesmos que dizem que Maradona é melhor que Messi por ter conquistado um Mundial, não dizem o mesmo de Pelé, que ganhou três sobre Maradona. Com isso, quero dizer que Messi, mesmo sem ganhar uma Copa do Mundo, vem demonstrando que está no caminho certo para superar Maradona.”

Em 2014, sobre Pelé, Di Stéfano e Maradona:

“É difícil comparar os grandes jogadores. Eu não vi o Di Stéfano jogar e não vi outros famosos. Nós começamos a ver e compreender o futebol na época do Pelé (…). Mas não comparamos dentro da mesma maneira o Pelé e o Maradona. Não há esse tipo de comparação, porque o Pelé jogou quatro Copas e ganhou três. Isso é um dado muito importante. Acho que foram épocas diferentes. O Maradona era muito vistoso quando jogava, chamava muita atenção, muito mais visível do que o Pelé. O Pelé era mais inteligente, entendia mais do jogo.”

Gianni Rivera (lenda do Milan e da seleção italiana, vencedor do Ballon D’or em 1969)- Pelé:

“Messi é uma arma para o Barça. Tê-lo no time é imenso; ele é o jogador mais decisivo atualmente. Entretanto, Eu acho que há alguém que foi ainda melhor e esse é o Pelé. Ele usava os dois pés no campo. Ele era tão perigoso com a direita quanto com a esquerda. Ele era forte no alto também, e criava muitas chances.”

Rudd Gullit:  Maradona.

Sobre Messi e Maradona:

“ Ele (Messi) já é o melhor do mundo. Ele é um talento excepcional. Eu ainda acho que Diego Maradona foi o melhor jogador que vi jogar, mas Messi está se aproximando rápido…”

Marco Van Basten: Maradona.

Ele acredita que Messi precisa ganhar uma Copa do Mundo para ser o melhor.

Lotthar Matthaus: Pelé. 

Em 2014, no programa “É campeão” da Sportv, respondeu que Pelé era o maior de todos.  Infelizmente, não consegui achar o vídeo.

Just Fontaine : Messi. 

“No jogo, o Barcelona é a melhor equipe. Na posse de bola, não há ninguém melhor. Tecnicamente, o que o Barça fez é perfeito. Pensava que Pelé era melhor, pois brilhou em seu clube e ganhou Copas do Mundo. Também se fala de Di Stéfano, mas acho que Messi é superior. Com sua velocidade e dribles, ele me lembra Garrincha. Quando ele ganhar um Mundial, o mundo pensará o mesmo.”

A partir daqui, todos como treinadores.

Pep Guardiola: Messi (compara o argentino a Pelé):

Entrevista em 2015:

“Ele (Messi) é o melhor jogador de todos os tempos. Eu o comparo a Pelé. Fico muito feliz de ver este futebol.”

Zagallo: Pelé (“Não existiu ninguém igual no mundo“). 

Arsène Wenger: Messi.

No vídeo abaixo, Wenger responde que Messi é o melhor jogador do mundo e o melhor de todos os tempos.

Jupp Heynckes: Pelé, Messi e Maradona estão no mesmo nível (cada um receberá um voto).

“Messi é um gênio e certamente está no nível de Pelé e Maradona”.

Menotti – Pelé

Numa entrevista à Radio Marca em 2012, asseverou:

“O maior que vi em minha vida foi Pelé. Uma mistura de Di Stéfano, Maradona, Cruyff, Messi, em um jogador”.

Em depoimento no documentário sobre a vida de Messi, segundo matéria do “La Nacion”,  Menotti elogiou bastante o gênio do Barcelona, “mas ao escutar o nome de Pelé, sua atitude mudou por completo: ‘Quando falar de futebol, não coloquem o Pelé porque era de outro planeta’. Depois, acrescentou: ‘Quem é o melhor entre Messi e Maradona? Não sei, não é possível decidir, são dois grandes jogadores. O único que está por cima de tudo, eu já disse e não vou repetir.”

Alex Fergunson – Pelé.

Entrevista em 2013:

Charlie Rose: Qual o melhor jogador que você já viu? 

Ferguson: Eu sou fã do Pelé desde que era um garoto, e depois sempre houve essa coisa mais tarde entre Pelé e Maradona. Eu era jovem e impressionável quando garoto, mas sempre foi Pelé para mim. Hoje, acho que tem que olhar para Messi e Ronaldo. Eles são inacreditáveis. Os melhores de hoje. Eles são fantásticos.

Fabio Capello – Pelé, Maradona e Messi são os três maiores (cada um receberá um voto). 

“Pelé, Maradona e Messi: esses são os três maiores, os que entreteram as pessoas e os que te fazem aplaudir de pé ao final do jogo.”

CLASSIFICAÇÃO FINAL:

PELÉ – 14 votos (Pelé, Cruyff, Beckenbayer, Di Stéfano, Zico, Platini, Rivellino, Rivera, Mathaus, Menotti, Alex Ferguson, Heynckes, Zagallo e Capello);

MARADONA – 6 votos (Maradona, Zidane, Gullit, Van Basten, Heynckes e Capello);

MESSI – 5 – votos (Fontaine, Guardiola,  Wènger, Heynckes e Capello);

DI STÉFANO – 2 votos (Bobby Charlton e Eusébio);

CRUYFF- 1 voto (Platini)

Curiosamente, eu considero os jogadores mencionados os cinco maiores jogadores da história do futebol (Beckenbauer e Garrincha completariam minha lista dos 7 melhores).

Como esperado, Pelé foi o jogador mais lembrado. Importante dizer que impressiona o número de votos do genial Messi, sobretudo pela ausência de jogadores de sua época entre os eleitores.

Alcides Ghiggia (carrasco do Brasil na Copa de 50): Pelé.

Em entrevista ao jornal Marca em 2005:

Jornalista: Quais são, em sua opinião, os três melhores jogadores de todos os tempos?

Ghiggia: Pelé, Di Stéfano e Puskas. Nessa ordem.

José Santamaría (lendário zagueiro uruguaio do Real Madrid nos anos 50 e 60): Di Stéfano.

Entrevista em 2014:

P. Você teve a oportunidade de ver jogar os grandes jogadores como o próprio Di Stéfano, Pelé, Maradona e Cruyff… Di Stéfano era o melhor?

Santamaría:  Sempre mantive  que Di Stéfano era o mais completo, pois era o melhor, não cabe nenhuma dúvida. O mais completo em todos os aspectos, porque trabalhava com as duas pernas, com a cabeça, não parava de correr durante os noventa minutos. Enfim, um jogador com qualidades extraordinárias. E um vencedor. Sempre um vencedor.

Humberto “Bocha” Maschio: Messi.

Esse grande atacante argentino e italiano (defendeu a seleção dos dois países; pela Itália disputou a Copa do Mundo de 1962) dos anos 50 e 60, campeão mundial de clubes em 1967 pelo Racing, afirmou em 2011:

“Messi será o melhor de todos. Apenas falta que passem os anos e preencha seu currículo. Eu enfrentei Pelé e Di Stéfano. Pelé era simples para jogar, mau porque te metia os cotovelos. Di Stéfano, um homem de todo o campo; Maradona, um grande habilidoso e definidor. Porém, este garoto (Messi) tem algo que não têm os outros: é rápido com a bola nos pés, a leva colocada, sabem para onde vai, mas não podem pará-lo. É um fenômeno, o número um da história já. Por mais que não tenha vencido com a seleção, não importa.

(…) Primeiro, Messi. Um degrau abaixo, Di Stéfano, Pelé e Maradona no mesmo nível. E Cruyff, um degrau atrás. Mas Messi acima de todos, o melhor da história. Cruyff, un escaloncito atrás. Pero Messi arriba de todos, el mejor de la historia.”

Dino Sani: Pelé.

Grande craque do São Paulo, Milan (campeão da Copa Europeia de Clubes em 62) e seleção brasileira (campeão da Copa do Mundo de 1958), o volante Dino Sani disse em 2013:

“Pelé é absolutamente incomparável, rapidez mental única. Te dava um drible sem você perceber. O que fazíamos era tentar antecipar, porque um jogador como ele era imarcável. O Vitor, no meu tempo de São Paulo, era quem marcava o Pelé, que se movimentava o tempo todo, velocíssimo, um azougue. Quando você chegava, era para decidir, ou a bola ou ele (risos). Mas, num átimo, ele já tinha passado por você e por mais um e já distribuía para alguém concluir, ou ele mesmo finalizava. Nunca vi nada que chegasse nem perto de Pelé, foi um assombro.

(…) Depois de Pelé e Di Stéfano é ele (Maradona), sem dúvida.

(…) São ótimos (Messi e Neymar) e vão evoluir, principalmente Neymar, que é mais jovem, mas não se comparam a nenhum dos dois (Pelé e Di Stéfano). E tem muitos na frente, a fila é grande.”

Fonte: Otaviopinto

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Translate »