Professora dança quadrilha com aluno surdo em Mãe do Rio

Em plena quadra junina no País, um exemplo de cidadania e amor ao próximo veio da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Albino Ferreira Chaves, na zona rural do Município de Mãe do Rio. A professora de 33 anos, Maria Janaína Araújo Gomes, aprendeu a Língua Brasileira de Sinais (Libras) para dar aulas a um aluno surdo, de nove anos, com o qual, recentemente, dançou quadrilha ao mesmo tempo transmitindo a letra da música à criança. O vídeo dessa apresentação viralizou nas redes sociais, com 1,5 milhão de visualizalções nos últimos dias. 


Janaína ganhou, agora, uma bolsa da Prefeitura Municipal para aprofundar o estudo de Libras — ela havia aprendido por conta própria via internet — para continuar ensinando Libras ao aluno Pedro Ezequiel. Quando chegou na escola, Ezequiel era conhecido na escola como mudinho. Agora, tudo indica que a situação dele vai mudar e para melhor, mediante a maior interação com os colegas de estudos e o gosto que ele ganhou pela escola.

Na zona rural de Mãe do Rio, com 27 mil habitantes, fica no Nordeste Paraense, em que 50% da população vivem com meio salário mínimo, funciona a Escola Albino Ferreira Chaves, onde atua a professora Janaína, desde 2017. A educadora percebeu, logo, o aluno com deficiência auditiva. Órfão de mãe, o garoto ia para a escola, a contragosto e levado pelo pai. Diante da situação do aluno, a professora encarou o desafio: aprendeu o básico de Libras, por conta própria, e passou a ensiná-la ao menino.

Superação – Pedro Ezequiel passou a interagir com a professora e ambos acabaram participando de uma festa junina – a primeira vez do garoto em uma festa junto com as outras crianças. O fato ganhou repercussão nacional. Quando Janaína conheceu Ezequiel, em 2017, ele cursava o segundo ano, e, agora, está no quarto do Ensino Fundamental. A educadora tinha feito uma pós-graduação em Neuropsicopedagogia e, então, decidu auxiliar o pequeno Ezequiel. Hoje em dia, o estudante já sabe o alfabeto, cores e a interagir com a família e outras pessoas. Na escola do garoto, alunos de séries diferentes estudam na mesma sala de aula, como escola multisseriada.

Essa interação entre professora e aluno chegou à ideia de uma coreografia junina, a partir de Janaína ter conferido um vídeo similar encaminhador um amigo dela. Após apenas três dias de ensaios, Janaína e Ezequiel concretizaram a coreografia em uma instituição de ensino da região, dado que a escola em que a criança estuda e não tem comemoração de São João.

Em pronunciamento, ao lado do prefeito de Mãe do Rio, José Rabelo, divulgado nas redes sociais, a professora Janaína destaca: “É uma satisfação trabalhar com o Ezequiel, porque ele é um aluno que gosta de aprender. Todo o trabaho que eu faço com ele é com amor e eu tenho muito prazer em exercer o meu trabalho com ele. Eu ganhei uma bolsa da Prefeitura para fazer curso de Libras para aprender e passar o conhecimento para ele”. Pedro Ezequiel deverá ganhar um aparelho auricular. “Os alunos especiais precisam de um pouco mais de carinho”, pontuou a professora Janaína. O prefeito José Rabelo acompanha a dedicação da educadora e parabenizou a docente pelo empenho e iniciativa com Ezequiel na escola municipal.

Fonte: Oliberal

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.