Seca no Rio Xingu atrapalha navegação de ribeirinhos

Seca do rio Tocantins, em Marabá, atinge marca histórica

Seca do rio Tocantins, em Marabá, atinge marca histórica

Ribeirinhos da comunidade Rio das Pedras, entre os municípios de Vitória do Xingu e Anapu, no sudoeste do Estado, estão com dificuldade de escoar a produção agrícola porque o rio Xingu secou muito e impede a navegação. De acordo com a Defesa Civil de Marabá, este ano a seca no rio Tocantins atingiu um nível histórico.

Ainda segundo o órgão, a marca atingiu 1,26m neste ano. Em comparação com o mesmo período dos anos anteriores, esse é o nível mais baixo já resgistrado. Em 2016, o rio ficou com mínima de 1,59m. E em 2015, quando foi registrado o início desse período de seca, a mínima ficou em 1,30m.

A Defesa Civil do município aponta que a principal causa dessa seca histórica é o assoreamento nas margens do rio, provocado pelo desmatamento dessas áreas. Além da falta de chuvas, que tem agravado o problema.

A previsão da Eletronorte para os próximos dias é que a situação se agrave ainda mais, pois o nível mínimo do rio pode chegar a 1,18m. Em nota, a Norte Energia informou que a vazão do Rio Xingu está dentro dos padrões de normalidade para o período de estiagem na região. A empresa não se manifestou sobre ajuda aos ribeirinhos prejudicados pela seca do rio.

Ribeirinhos

Mas segundo o pescador Félix de Souza e Silva, outro problema da seca são os bancos de areia que se formam no meio do rio. Alguns já se aproximam da orla da cidade. “Esse banco aparecia, mas fazia muitos anos que ele ficou embaixo d’água”, comenta o pescador

“Sou pescador há 18 anos e nunca vi o rio seco desse jeito. Tá difícil navegar porque tem muito barranco de areia, se alguém viajar de noite encalha no meio do caminho”, diz Joelson Cajado Souza.

Fonte: G1

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário