Sem Terra volta a ocupar fazenda em Marabá

 

Sem Terra volta a ocupar fazenda em Marabá (Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Integrante do Movimento dos Sem Terra ligados à Frente Nacional de Luta (FNL) ocupam a fazenda Mutamba em Marabá no sudeste paraense. A propriedade, localizada na zona rural do município está sendo constantemente alvo do grupo, que ocupa a área pela segunda vez em três meses. O acampamento está erguido cerca de dois quilômetros da fazenda. No último dia 23 de julho, o local foi alvo de ataques que destruíram a sede, equipamentos e casas dos trabalhadores. O pecuarista Mauro Mutran calcula um prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

Chama a atenção o fato de os sem terra estarem usando outra entidade de luta pela posse da terra, uma vez que outras duas associações estão processadas e caso retornassem à propriedade sob a mesma bandeira, poderiam ser presos por esbulho possessório e desobediência à ordem judicial, uma vez que permanece uma decisão de ordem de despejo em favor do pecuarista Mauro Mutran.

Esse ataque é investigado pela Delegacia de Conflitos Agrários, mas até o fechamento desta edição nenhum dos envolvidos havia sido preso, muito embora a Polícia já tenha identificado alguns destes sem terra.

NOVO PROCESSO

O delegado Alexandre do Nascimento Silva confirmou que alguns dos sem terra foram identificados por envolvimento em outros ataques que aconteceram na fazenda Mutamba e que podem ser presos a qualquer a momento. “Pena que em muitos casos a Justiça não concede as prisões preventivas”, comenta o delegado lembrando que no caso desta nova invasão, começa um novo processo de reintegração de posse, onde os sem terra devem ser identificados e posteriormente devem ser indiciados pelos crimes de esbulho possessório e quem sabe até mesmo associação criminosa.

Fonte: diarioonline

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.