Sua próxima casa pode ter tijolos feitos com urina humana

Um grupo de três cientistas da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, está chamando atenção na internet por conta de uma invenção bem incomum: tijolos feitos com urina humana. Não, você não leu errado: os cientistas transformaram xixi comum em blocos que podem ser usados normalmente para a construção civil. E o melhor de tudo é que eles são rígidos como os tijolos de calcário tradicionais e não agridem o meio ambiente.

Inspirados na formação de corais nos oceanos, os africanos empregaram um processo chamado precipitação de carbonato microbiano. Basicamente, bactérias são utilizadas para produzir uma enzima que separa a ureia presente na urina, o que resulta na formação de carbonato de cálcio. É adicionada areia à mistura, que se solidifica naturalmente em temperatura ambiente, formando tijolos cinza de alta resistência. Cada “biotijolo”, como tais itens foram chamados, precisa de 25 a 30 litros para ser criado.

“Quando começamos esse processo no ano passado, atingimos a mesma rigidez de um tijolo feito com 40% de calcário”, explica Dyllon Randall, supervisor da pesquisa. “Alguns meses depois, dobramos sua rigidez. Agora, estamos alterando o material que colocamos no molde e permitindo que as bactérias cimentem as partículas por mais tempo — com nenhum calor (artificial), a temperatura ambiente”, comenta. Isso significa que os tijolos podem ser moldados de acordo com a necessidade do usuário.

E se você está se perguntando se os tais blocos não exalam um odor desagradável, Randall é sincero e afirma que, embora o processo de fabricação seja um tanto fedorento, o produto final não exala cheiro algum após 48 horas. Além disso, os tijolos não oferecem qualquer risco à saúde humana. “O processo que usamos na primeira etapa elimina todos os patógenos e bactérias, porque ocorre em um pH muito alto que mata praticamente qualquer coisa”, conclui o cientista.

Salvando o planeta com xixi

A esta altura do campeonato, nós sabemos qual deve ser o seu questionamento principal: para quê? Vamos lá: para produzir os tijolos comuns que sustentam a sua moradia, é necessário cozinhá-los em fornos a cerca de 1.400 ºC usando métodos que emitem dióxido de carbono — que, como todos nós sabemos, é nocivo ao planeta. Sendo assim, há tempos cientistas do mundo todo procuram formas mais sustentáveis de criar materiais rígidos o suficiente para sustentar uma construção.

O conceito utilizado por Randall e sua turma já havia sido testado anos atrás nos EUA, mas com um material sintético que simulava as propriedades da urina — os africanos foram os primeiros a efetivamente coletar xixi humano (no banheiro da própria faculdade) para construir os blocos. Visto que uma pessoa produz, em média, entre 200 ml e 300 ml de urina em cada ida ao toalete, essa missão deve ter sido um tanto desafiadora.

Além disso, a produção de um único bloco demora de 4 a 6 dias — se for necessário torná-lo mais rígido, esse tempo de espera pode se estender ainda mais. E você? Teria coragem de utilizar tijolos feitos com urina para construir sua casa?

Fonte: Megacurioso

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário