Quem são os políticos da Lava Jato que perderam as eleições e ficarão sem foro privilegiado

Quem são os políticos da Lava Jato que perderam as eleições e ficarão sem foro privilegiado

  Logo depois da divulgação dos primeiros resultados das eleições de 2018, o procurador da República Deltan Dallagnol usou sua conta no Twitter para comemorar a derrota nas urnas de políticos investigados pela Lava Jato. “Pelo menos uma dezena de envolvidos graúdos perderam o foro privilegiado”, escreveu ele, que coordena a força-tarefa da operação. Na verdade, o número é pelo menos três vezes maior: a BBC News Brasil encontrou 31 políticos investigados na Lava Jato que foram derrotados nas urnas este ano e poderão ficar sem foro. A lista inclui alguns…

Leia Mais

Mais da metade dos candidatos alvo da Lava Jato não consegue se eleger

Mais da metade dos candidatos alvo da Lava Jato não consegue se eleger

A maior parte dos alvos da Operação Lava Jato que tentaram um novo mandato nas eleições deste domingo, 7. fracassaram. Dos 77 nomes que ainda respondem a alguma investigação e se candidatam, 40 não tiveram sucesso. Entre os mais famosos estão o ex-líder do governo no Senado Romero Jucá (MDB-RR) e o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), que chegou a ser preso durante a campanha. Outros nomes de destaque na política, como o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e o vice, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), também ficaram de…

Leia Mais

De pai para filho

De pai para filho

Os senadores Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR), ambos do MDB, possuem uma longa ficha corrida de inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). Só em um procedimento investigatório, são acusados de receberem R$ 45 milhões em propinas em troca de emendas parlamentares que beneficiaram montadoras de veículos. Benedito Lira (PP-AL) também deixou sua digital num esquema de desvio de dinheiro da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Ele e o filho, deputado Arthur Lira (PP-AL), seriam destinatários de, pelo menos, R$ 106 mil apreendidos com um assessor deste último….

Leia Mais

Os herdeiros dos criminosos

Os herdeiros dos criminosos

  Se políticos de grosso calibre encontram-se atrás das grades, arrastados pela implacável Lava Jato, o mesmo não se pode dizer de seus rebentos. Livres e soltos, os filhos das “excelências” presas foram encarregados de garantir a manutenção do poderio político da família. Para cumprir a tarefa a contento, entraram de corpo e alma na campanha eleitoral deste ano – mesmo sob o risco de serem contaminados pela imagem manchada dos pais. Recursos para gastar no pleito eles têm. De sobra (não é difícil imaginar a origem). Encabeçam a fila…

Leia Mais

Operação apura propina para liberar créditos tributários da JBS

Operação apura propina para liberar créditos tributários da JBS

  JBS: a PF estima que o total de créditos liberados a partir do esquema chegue a 2 bilhões de reais ao longo do período (JBS/Divulgação) São Paulo – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a operação Baixo Augusta, um desdobramento da Lava Jato baseado nas delações premiadas de executivos da JBS que apontam o pagamento de 160 milhões de reais em propina para facilitar a liberação pela Receita Federal de créditos tributários à empresa, informou a corporação. De acordo com a PF, estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e…

Leia Mais

A operação predileta do novo diretor da Polícia Federal

A operação predileta do novo diretor da Polícia Federal

Fernando Segóvia, o novo diretor-geral da PF (Foto: Reprodução) O novo diretor da Polícia Federal, Fernando Segóvia, considera a Operação Trânsito Livre como um dos pontos altos de sua trajetória na corporação. A ação foi deflagrada em Foz do Iguaçu no início dos anos 2000 para prender policiais rodoviários federais corruptos. Foram presos mais de 40 servidores. Sempre que fala sobre a ação policial, Segóvia lembra o forte apoio popular que os agentes federais receberam nas ruas na ocasião. Fonte: Epoca

Leia Mais

O sobrevivente Daiello

O sobrevivente Daiello

Há sete anos no comando da Polícia Federal, o delegado Leandro Daiello, de 51 anos, já enfrentou uma troca de governo e a gestão de sete ministros da Justiça. O diretor-geral da PF balançou no cargo várias vezes. Até pediu demissão recentemente, mas foi convencido a permanecer. Fontes concordam que a principal razão para a longevidade de Daiello é o sucesso da Lava Jato. Hoje, em razão da operação, a Polícia Federal é uma das instituições de maior credibilidade junto à população. Qualquer mudança no comando da PF pode ser…

Leia Mais