Usinas eólicas no oceano poderiam gerar energia para todo o mundo

Usinas eólicas no oceano poderiam gerar energia para todo o mundo

A usinas eólicas no oceano, como esta vista na imagem das águas do norte da Inglaterra, poderiam ser muito mais eficientes que as turbinas terrestres, segundo um novo estudo – AFP

As usinas eólicas no oceano podem gerar energia muito mais renovável do que aquelas em terra, possivelmente o suficiente para fornecer eletricidade para o mundo inteiro, afirma um estudo americano nesta segunda-feira.

Pesquisadores do Instituto Carnegie para a Ciência descobriram que as altas velocidades do vento ao longo dos mares abertos poderiam produzir cinco vezes mais energia que as turbinas eólicas sobre a terra.

Embora hoje não existam usinas eólicas em águas profundas em escala comercial, o estudo sugere que vale a pena perseguir essa tecnologia, embora a potência varie de acordo com as estações.

“No inverno, as usinas eólicas do Atlântico Norte poderiam fornecer energia suficiente para satisfazer todas as necessidades atuais da civilização”, afirmou o estudo, publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

“No verão, tais usinas eólicas poderiam gerar energia suficiente para cobrir meramente a demanda de eletricidade da Europa, ou possivelmente dos Estados Unidos sozinhos”.

O estudo foi baseado em modelos de computador que compararam a produtividade de grandes usinas eólicas do Kansas com usinas eólicas maciças imaginárias erguidas em mar aberto.

Em algumas áreas, particularmente no Atlântico Norte, as usinas eólicas baseadas nos oceanos seriam muito mais potentes porque a resistência introduzida pelas turbinas eólicas não retardaria os ventos tanto quanto em terra.

Além disso, as usinas eólicas em mar aberto foram vistas como mais capazes de capturar a energia que se origina no alto da atmosfera e é transportada para a superfície, onde as turbinas podem extraí-la.

“Descobrimos que as usinas eólicas gigantes baseadas no oceano podem aproveitar a energia dos ventos em grande parte da atmosfera, enquanto as usinas eólicas em terra permanecem restritas aos recursos eólicos próximos da superfície”, disse a coautora Anna Possner.

Fonte: Istoé

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário