Venezuelanos passam fome e Maduro come churrasco de luxo em Istambul

 

O chef turco Nusret Gökçe, 35, conhecido com Salt Bae, é uma sensação gastronômica mundial. Tem mais de 15 milhões de seguidores no Instagram e costuma postar vídeos e fotos preparando carnes com muito sexy appeal. A internet impulsionou sua fama, e seus negócios.

Tem restaurantes na Turquia, em Dubai, Abu Dhabi, Doha, Miami, Nova York. Em comum, eles são frequentados por celebridades, atletas famosos, grandes empresários. Eles pagam até mil dólares numa refeição com pratos com enormes bifões de gado de primeira linha.

Até aí, é do jogo: gente rica gastando dinheiro em comida boa. Mas nesta segunda-feira Salt Bae divulgou em suas redes sociais a visita de um convidado inesperado: o rotundo presidente venezuelano, Nicolás Maduro. O chef postou seis fotos da visita de Maduro a seu restaurante em Istambul, mas rapidamente apagou a postagem. Em pouco mais de uma hora no ar, o post teve mais de 1.000 comentários.

O presidente venezuelano passou por Istambul na volta de uma visita a China em busca de novos acordos econômicos e novas linhas de financiamento para seu regime (o de governo, no caso).

Maduro, como se sabe, comanda um país quebrado, onde a população perdeu, per capita, oito quilos em 2016 e 11 quilos no ano passado. Um relatório do próprio governo revelou que mais de 60% dos venezuelanos afirmaram acordar com fome por não ter dinheiro suficiente para comprar comida. Cerca de um quarto da população come menos de duas refeições por dia. Cerca de 87% dos venezuelanos vivem em situação de pobreza. Mais de 2 milhões de venezuelanos já deixaram o país em busca de trabalho e comida.

O mesmo estudo aponta uma queda na qualidade da dieta venezuelana, cada vez mais pobre em vitaminas e proteínas. Carne vermelha é algo impossível por lá — por escassez ou alto custo. A inflação no país deve chegar a 1.000.000% este ano, segundo o FMI. Um frango custa 14.600.000 bolívares (2 dólares), dinheiro suficiente para encher o porta-malas de um carro. Um quilo de carne, 9.500.000 bolívares.

Ou seja: se fosse pagar em bolívares pela refeição, Maduro teria que estacionar um caminhão na frente do Nusr-Et Sandal Bedesteni, em Istambul.

Fonte: Exame

 

Jaqueline Alves

Graduada em Ciências Sociais e Engenheira Ambiental. Especialista em Direito Ambiental; Direito Municipal; Gestão Pública; Engenharia e Segurança do Trabalho; MBA em Petróleo e Gás e Auditoria Ambiental

Artigos relacionados

Deixe um comentário